TOP
Vida de Empreendedora

5 passos para ficar mais tranquila no trabalho

Como manter uma rotina de trabalho tranquila em um cenário com excesso de informações circulantes, muitas tarefas a serem entregues e novas demandas e ideias sempre surgindo?

Já percebeu que estamos em um eterno status de urgente, nos cobrando muito por eficiência e velocidade, como se para ter sucesso profissional fosse necessário correr (sempre coladinha no smartphone)? É aí que nos enganamos. Os reflexos desse estilo de vida vão chegando na sequência na forma de crises de pânico, transtornos de ansiedade, mente acelerada, insônia, irritação e a sensação constante de falta de tempo para cuidar de si, se divertir, estar com quem ama. Será que é esse o objetivo do trabalho?

Por experiência própria de alguém que resolveu desacelerar e viver o hoje com qualidade (e não aguardar até a aposentadoria para ter equilíbrio), não deixando de empreender a cada dia nem de crescer como profissional, seguem 5 passos se você deseja fazer um bom ajuste na rotina de trabalho que leva hoje. Optei por não te dizer o óbvio, que você deveria dormir x horas por noite, se alimentar bem, fazer exercício físico – isso já deveria ser feito por todas nós (rs!), então minha intenção aqui é que você se desperte para ações simples que podem te trazer conforto e paz no dia a dia corrido:

 

Passo 1: Inspire-se

Tenha como rotina ler uma mensagem de reflexão antes de começar suas atividades profissionais. Livros de sabedoria como o “Vida Feliz” (Divaldo Franco) ou “Flor do Dia” (Prem Baba). Cada um tem um hábito para mensagens, eu gosto de abrir aleatoriamente e me surpreender o que vai me trazer para aquele dia. Então, a dica é começar o dia de trabalho sem se atropelar! Se dê um “Bom dia! Dormiu bem? Vamos ler umas palavrinhas para treinar a mente para a positividade e começar com o pé direito?”. Não deixei que nada nem ninguém atrapalhe seu ritual de 2 minutinhos, ele vai fazer diferença.

 

Passo 2: Priorize (e não se escravize)

O trabalho é UMA das áreas da sua vida, não é a sua vida. E incorporar esse pensamento faz muita diferença. Então qual é sua real necessidade de dedicação ao trabalho? Claro que há fases atípicas, projetos maiores, períodos que nos exigem mais para colhermos alguns frutos – o perigo é quando o viver para trabalhar vira uma constante. Tem muitas tarefas para desempenhar naquela semana? Organize-se e priorize. O que é realmente urgente, o que pode ser feito em um ritmo médio, o que pode ser deixado para amanhã?

Grave: na maioria das vezes, nós mesmos que nos impomos as urgências. Nós mesmos nos cobramos uma alta performance. Nós mesmos nos escravizamos ao dizer “sim”, “dá tempo”, “eu faço” o tempo todo. Eu aprendi nos últimos anos a fazer escolhas mais inteligentes sobre tarefas e projetos a aceitar, avaliando o impacto que teriam na minha rotina, o custo-benefício, a sincronia com tudo que já desempenho. Sugiro que comece esse novo olhar ao elencar essas prioridades de forma visual, colora na sua agenda, enumere das atividades mais importantes às menos para aquele dia – você se sentirá mais seguro e poderá dizer “isso fica para amanhã, vou cuidar de mim agora”.

 

Passo 3: Desacelere

Os meus dias mais felizes são aqueles em que houve sim produtividade (tendo em mente, também, que toda ocupação útil é trabalho, não só o que gera retorno financeiro), mas que acima de tudo houve contemplação, paciência, sorrisos e conversas com conhecidos e desconhecidos, aceitação do que não tenho controle, flexibilidade… tudo sem correria! Ahh, que dias bons, bem diferentes dos que me deixo levar pelo excesso de atividades e corro como se não houvesse amanhã! Sabedoria é fazer uma coisa de cada vez, com foco, devagar, com amor (reflexo de uma rotina priorizada, como falamos acima). E enxergar que isso não priva sua criatividade, proatividade…  Pelo contrário, tudo tem mais qualidade, pois a mente está mais tranquila! Que sejamos mais “flashes versão slow”!! E alimente os momentos de ócio, fazer nada mesmo, eles são fantásticos para criar coisas novas.

 

Passo 4: Respire

Quantas vezes no dia você para e respira de forma consciente? Aos que desconhecem a meditação, muitas vezes há um preconceito de que é uma prática para “gente zen”, algo para se fazer na natureza, “coisa de monge”. Meditar nada mais é do que se conectar por inteiro ao agora, arejar a mente. E por meio da respiração você medita. Basta parar por um minuto (ixi, será que você tem esse tempo?), onde quer que esteja, fechar os olhos e focar apenas no ar que entra e sai das suas narinas. Você pode contar, por exemplo, até 5 para inspirar e expirar também em 5 segundos. O efeito é maravilhoso! Se sentirá mais calmo, mais inteiro e quando voltar às suas atividades estará mais concentrado.

Adoro esse videozinho que explica como meditar em um minuto, assista e experimente:

 

Passo 5: Pratique a gratidão

Além de enumerarmos nossos sonhos e desejos de realização, é primordial pontuarmos o que já conquistamos – ativando o mecanismo de recompensa do cérebro, de satisfação e emoções positivas! Para gerar esse bem-estar, pense no que você já alcançou, relacionamentos importantes, conquistas no seu empreendimento, materiais, pessoais. O quanto você já caminhou em autodescobrimento, lapidou características da sua personalidade, se desenvolveu na sua profissão! Olhe para tudo isso e faça um reconhecimento interno. A gratidão também estimula o afeto, reduz a ansiedade, o medo, traz tranquilidade a partir da liberação do hormônio ocitocina. Todos temos problemas e questões que nos desestimulam, todos vivemos uns dias meio nebulosos. Mas independente das circunstâncias, sempre teremos algo a agradecer.

No modo automático, acabamos nos acostumando com nossas rotinas e esquecendo dos bons detalhes. Por 7 meses, morei em uma cidade muito diferente da minha, ficando longe das pessoas que amo no dia a dia, me sentindo atribulada de muitas tarefas… Aí adotei uma prática: na hora que vivia algo bacana, anotava na data correspondente na agenda e coloria aquelas palavras! Era a conversa com uma amiga, um doce gostoso, um bom texto escrito, uma aula de pilates, a voz da minha mãe no tel, uma foto do meu gatinho de estimação, uma questão que foi facilmente resolvida… detalhes que me faziam bem! E no desânimo, eu revia essas anotações para me lembrar que tudo sempre tem sua angulação positiva, basta estar disposto a enxergar! Por isso, convido você a enumerar com frequência num caderno, na agenda, pontos a agradecer! E quem sabe a gratidão vira uma prática em sua vida?

Espero que esses cinco passos sejam o início de uma rotina de trabalho mais leve e com o propósito mais afinado: seu crescimento interno, seu equilíbrio. Tente, se desafie a investir mais na sua tranquilidade hoje!

Flavia

Jornalista, Mestre em Comunicação e Identidades, Especialista em Comunicação Empresarial. Professora em cursos de pós-graduação e 10 anos de experiência no mercado de Assessoria de Imprensa, Relações Públicas e Comunicação Integrada. Líder do Multimulher e voluntária da Arte de Viver.

«

»

what do you think?

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *